PolkaBTC: Bitcoin ganha novo token e pode ocupar topo do DeFi na rede Ethereum

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Polkadot anuncia versão tokenizada do Bitcoin para investir em DeFi

  • Donos de BTC poderão obter PolkaBTC e usar na rede Ethereum

  • Empresa promete “seguro” contra mal comportamento da comunidade

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A montanha de Bitcoin que já está travada na rede Ethereum deve aumentar em breve. Nesta quinta-feira (15), o time da Polkadot anunciou o novo token PolkaBTC que terá essa missão.



O token PolkaBTC será pareado 1 para 1 com o Bitcoin que permitirá a investidores de Bitcoin alocarem recursos em projetos na rede Ethereum. O criptoativo terá integração com projetos que prometem aceitar a moeda para diversas aplicações, incluindo DeFi.

Donos de Bitcoin, dessa maneira, poderão transformar seus ativos em PolkaDOT para investir em negócios baseados em contratos inteligentes. Além disso, ao terminar a negociação, será possível converter de volta os tokens em BTC sem maiores problemas.



Assim, o ativo deverá ajudar a incrementar a quantidade de Bitcoin alocada na rede Ethereum. Atualmente, o token ERC20 Wrapped Bitcoin (WBTC) já tem 105.000 Bitcoins travados, o terceiro maior projeto DeFi no Ethereum. O valor equivale atualmente a US$ 1,2 bilhão, ou R$ 6,73 bilhões, segundo o DeFi Pulse.

O novo token será disponibilizado a partir de fevereiro ou março de 2021.

Uma vez implantado, os usuários poderão cunhar ativos 1:1 garantidos com Bitcoin no Polkadot, na forma de PolkaBTC, e usá-los em uma ampla gama de aplicativos, incluindo exchanges descentralizadas, stablecoins e protocolos de empréstimo. Nos bastidores, a rede BTC-Parachain implementa o XCLAIM, a única estrutura entre redes que não depende de intermediário para funções financeiras e permissões e é à prova de censura – e é baseada por pesquisas de alto nível.

Como funciona o mecanismo de troca entre Bitcoin e PolkaBTC

A operação será totalmente descentralizada. O usuário que desejar obter o novo token precisará apenas bloquear a quantidade desejada de BTC no cofre (Vault) do aplicativo. Em seguida, o usuário poderá enviar o comprovante ou esperar por uma aprovação automática para obter o PolkaBTC.

A única exigência será ter um pequeno valor em Polkadot (DOT) na carteira para pagar taxas. Dessa forma, o fluxo será similar ao que já acontece com tokens ERC20, que requerem ETH para completar uma transferência.

 

O processo muda um pouco na hora do saque de Bitcoin. O usuário deverá levar os tokens PolkaBTC de volta ao cofre original e ter o swap aprovado para, então, receber a quantidade equivalente em BTC.

A Polkadot reconhece que podem haver riscos por conta do caráter totalmente descentralizado da plataforma. No entanto, o projeto de integração de blockchain promete uma espécie de seguro.

Se um Vault tentar se comportar mal, a garantia [saldo em Bitcoin] será cortada. Como usuário, você pode decidir tentar novamente com outro Vault ou ser reembolsado com DOT – incluindo um bônus para compensar o inconveniente.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá