Presidente da Microsoft critica criptomoedas após consulta sobre bitcoin

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Para Brad Smith, governos ainda são a melhor opção para emitir moeda.

  • Ao contrário de outras empresas, Microsoft poderá não investir em bitcoin e outras criptomoedas

  • Apesar disso, empresa cogita o bitcoin como forma de pagamento na plataforma do Xbox.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O presidente da Microsoft, Brad Smith, questionou o envolvimento de empresas na criação de criptomoedas em conferência realizada pelo Banco de Compensações Internacionais nesta quarta-feira (24).



Segundo a Bloomberg, Smith afirmou que os governos ainda são a melhor opção para controlarem a emissão e distribuição de todas as formas de dinheiro:

“O suprimento de dinheiro quase que exclusivamente precisa ser administrado por uma entidade que possui responsabilidades perante o público e pensa realmente apenas no interesse público, e isso significa governos. Eu não sou fã de encorajar, pedir ou querer que participemos de emissão de moeda.”



A pandemia causada pelo Covid-19 aumentou a quantidade de pagamentos digitais e a impressão de moeda por bancos centrais para combater a crise econômica. Com isso, criptomoedas descentralizadas ganharam destaque e adesão por pessoas e empresas.

Desde o crash no mercado financeiro decorrente da pandemia no final de março de 2020, o bitcoin chegou a valorizar mais de 1.400%, saltando de aproximadamente US$ 4.000 para a máxima histórica de US$ 61.711,87 alcançada este mês, segundo o site CoinGecko. 

A alta do mercado cripto tem movimentado discussões entre órgãos governamentais reguladores e emissores de moeda. Nesse sentido, Smith parece confiante que os governos ainda são mais indicados para controlar o dinheiro usado pela população:

“Acho que o mundo tem sido melhor servido por um movimento ao longo dos séculos para colocar isso nas mãos dos governos. Não somos um banco e não queremos nos tornar um banco e não queremos competir com nossos clientes que são bancos.”

Bancos centrais estudam criar moedas digitais próprias

As declarações de Smith vêm em um momento em que governos discutem a emissão de moedas digitais de bancos centrais (CBDC). Ao mesmo tempo, crescem discussões sobre a regulamentação de criptomoedas descentralizadas, como o bitcoin.

O movimento pela implementação de CBDCs é forte na China, país que já lançou caixas eletrônicos do yuan digital para testes em algumas cidades. No entanto, o Brasil também se destaca.

O presidente do Banco Central do Brasil, Roberto Campos Neto, chegou a declarar no início deste ano que um real 100% digital poderia substituir o atual dinheiro convencional em um futuro não muito distante. Já nesta quarta-feira (24), presidente do BC reforçou a agenda e ressaltou a importância de conectar CBDCs de diferentes países.

Microsoft não deve seguir Tesla

A Microsoft aceita bitcoin como forma de pagamento para adquirir seus produtos nos Estados Unidos desde 2014. Além disso, a companhia realizou recentemente uma pesquisa com os usuários do Xbox – console de jogos digitais da empresa – sobre a possibilidade de adquirir jogos e demais serviços da plataforma com bitcoin.

Em entrevista cedida à CNN em fevereiro, Brad Smith já frisava, no entanto, que a Microsoft não tinha planos de investir no bitcoin após a aquisição bilionária realizada pela Tesla. 

Além disso, Bill Gates, fundador da empresa e um dos homens mais ricos e influentes do mundo, também revelou à CNBC que não vê o bitcoin com otimismo. Apesar disso, ele afirmou que pagamentos digitais serão dominantes no futuro próximo.

As declarações, dessa maneira, reforçam a a ideia de que a Microsoft pode não entrar no mercado de criptomoedas ao contrário de outras gigantes da tecnologia como o Uber, Twitter, que cogitam investir ou aceitar pagamentos em bitcoin. Há também o Facebook, que caminha para lançar a sua própria moeda digital, o Diem.  

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Formado em administração e escritor por paixão, Anderson atua como redator para o BeInCrypto, escrevendo sobre as principais notícias sobre o criptomercado, economia e política.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá