Projeto usa tokens e blockchain para resolver problema do lixo no Brasil

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Projeto da BASF recompensa empresas com tokens quando o plástico é reciclado.

  • Tokens podem ser vendidos a empresas que queiram contribuir com o processo.

  • Novos programas envolvendo os tokens devem ser criados no futuro.

  • promo

    Participe da nossa comunidade gratuita no Telegram e obtenha sinais de trade e análises de criptomoedas todos os dias!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O reciChain é uma plataforma colaborativa baseada em blockchain criada para aumentar a capacidade instalada para reciclagem de resíduos das empresas participantes.

Patrocinados



Patrocinados

Ela age monitorando o progresso da cadeia de reciclagem, introduzindo as informações necessárias na blockchain para consulta rápida e descentralizada. Quando o material é reciclado, a empresa responsável recebe uma recompensa em tokens, que servem como comprovante de que a reciclagem realmente ocorreu.

A quantidade de tokens gerados depende de uma meta pré-estabelecida de acordo com a capacidade da empresa. Ela também recebe incentivos, na forma de mais tokens, quando ultrapassa essa meta.

Patrocinados



Patrocinados

O uso de tokens permite que as empresas possam investir em reciclagem sem precisar adaptar suas operações. Aquelas que não reciclarem o suficiente podem comprar os tokens de quem os tem em excesso.

Esse dinheiro extra pode, por sua vez, ser investido em melhorias como o aumento de sua capacidade ou o treinamento de funcionários.

Segundo a BASF, o uso do blockchain é uma forma fácil e descentralizada de armazenar as informações sobre o processo de reciclagem. Qualquer pessoa pode consultar os dados, que informam todo o caminho do material até as usinas. E é só nesse momento que o token de recompensa é gerado.

O uso de tokens também é uma forma de garantir que cada empresa possa contribuir para o aumento da quantidade geral de material reciclado – que, no caso do plástico, é estimada em 4% no Brasil – sem precisar modificar sua estrutura de negócios.

A ideia do projeto surgiu dentro de um edital interno para fomento de negócios de impacto da BASF. Em pouco tempo, ele foi expandido para outras empresas, como a Natura, Braskem, Henbel, Bomix, Wise, Recicleiros e Triciclos. Além disso, conta com o apoio da Fundação Espaço ECO, responsável pela estrutura do projeto, sua plataforma e o programa de créditos.

Segundo a BASF,

“O objetivo do reciChain é aumentar a capacidade instalada para reciclagem de resíduos, em especial o plástico, visando incentivar a economia circular em toda a cadeia de valor, além de causar um impacto social positivo por meio da geração de empregos inclusivos em cooperativas e unidades de triagem, recicladores, convertedores de novas embalagens, indústria e fabricantes de produto.”

A ideia, no futuro, é que as empresas desenvolvam programas específicos que só possam ser acessados usando os tokens, como financiamentos, o que aumentaria ainda mais o incentivo pela reciclagem.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Patrocinados
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Jornalista de dados por formação, atuo no ramo de tecnologia há dez anos. Foi durante este tempo que conheci o mundo de criptomoedas, que venho acompanhando desde então. Já atuei para o grupo Globo, o jornal Gazeta do Povo de Curitiba (PR) e atualmente também escrevo para o portal UOL.

SEGUIR O AUTOR

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora