Rede social brasileira recompensa usuários com criptomoeda; veja como funciona

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Plataforma paga com token ERC-20 listado no CoinMarketCap

  • Curtir, comentar e postar, entre outras tarefas, rendem pagamentos

  • Tokens já são aceitos em site de jogos e meio de pagamento

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Uma nova rede social brasileira quer atrair usuários oferecendo recompensa em criptomoedas. Tarefas como comentar, curtir e compartilhar rendem pagamentos em um token Ethereum no padrão ERC-20 chamado ZCore Token (ZCRT).



Essa é a proposta da ZCore Social, uma nova rede social criada por brasileiros. Ela tem versão web e aplicativos para Android e iPhone. A novidade faz parte do projeto ZCore, que já tinha uma criptomoeda desde 2018 e lançou a novo ZCore Token, já listado no CoinMarketCap.

A rede social é parecida com o Facebook, incluindo loja integrada. É possível, por exemplo, adicionar amigos, postar texto e fotos, links do YouTube, e anunciar produtos. Além disso, o usuário pode criar páginas temáticas. Páginas de Bitcoin, Ethereum, entre outras criptos, já marcam presença.



Segundo Erick Costa, fundador do projeto, a rede social acumula, atualmente, 2.300 usuários. A novidade, vale lembrar, funciona há menos de um mês.

Participe da nossa Comunidade de Trading no Telegram para acessar sinais exclusivos de negociação, conteúdo educacional, discussões e análises de projetos!

Como ganhar na rede social

O usuário começa a ganhar já no cadastro, especialmente ao entrar por meio de convite. Adicionar amigos e tópicos em fóruns também rendem recompensa. Além disso, é possível dar like em forma de pontos.

As recompensas vão de 1 a 200 pontos, dependendo da tarefa. Cada mil pontos equivalem a um token ZCRT. Atualmente, o ativo está avaliado em cerca de US$ 0,45, ou R$ 2,50 no câmbio de hoje.

Costa explica ao BeInCrypto Brasil que, ao contrário de plataformas similares, a ideia é facilitar a conversão em criptomoeda. A COS.TV, por exemplo, é conhecida por essa dificuldade.

Alguns serviços dificultam muito a troca de tokens pelo usuário, colocando obstáculos para converter as recompensas em tokens. Na ZCore Social, trabalhamos para facilitar essa tarefa: com um clique, o usuário transforma pontos em tokens e os recebe em sua carteira Ethereum.

Ao criar uma conta, o usuário recebe um endereço ERC-20 automaticamente e pode exportar a chave para obter o ZCRT em qualquer carteira compatível.

Token é aceito em jogos e pagamentos

Os desenvolvedores explicam que já há vários usos práticos para o ZCore Token. Uma delas é em jogos de aposta na plataforma Play Royal, que aceita o ZCRT a partir desta sexta-feira (22). Além disso, o ativo pode ser usado para pagar hospedagem de masternodes no sistema ZCore Masternodes System.

A equipe também prepara o ZCore Pay, espécie de PicPay para criptomoedas que faz transferências, recargas de celular e outros pagamentos com ZCRT. Segundo Costa, o ZCore Token também deverá estrear, em breve, em uma grande plataforma que permite, por exemplo, pagar contas e boletos.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Sou editor-chefe do BeInCrypto Brazil desde abril de 2021.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá