Ripple decola de vez? XRP é elevada a patamar de Bitcoin e Ethereum

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Antigo diretor de agência reguladora diz que XRP não é valor mobiliário

  • Classificação colocaria ativo em pé de igualdade com Bitcoin e Ethereum

  • Ripple poderá se tornar uma das fintechs mais valiosas do mundo

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Um estudo publicado nesta quarta-feira (17) pode mudar os rumos da XRP e da Ripple. O criptoativo, na visão de um respeitado ex-diretor de agência reguladora dos EUA, pode ser considerado no mesmo patamar que Bitcoin e Ethereum.



O antigo diretor da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities, Chris Giancarlo, publicou hoje o paper intitulado “Criptomoedas e leis de valores mobiliários dos EUA: além de Bitcoin e Ether”.

O estudo defende que o XRP não deve ser considerado um valor mobiliário. Trata-se da mesma classificação gozada atualmente apenas por BTC e ETH junto a autoridades dos EUA. O trabalho argumenta que o XRP não é um “contrato de investimento”.



O que diferencia o XRP de seus pares é o XRP Ledger. Ao contrário dos protocolos blockchain que suportam muitas outras criptomoedas populares, o XRP Ledger não recompensa os participantes da rede por validar transações no ledger com moedas (um processo conhecido como mineração). Na ausência de mineração, o XRP não pode ser gerado por terceiros.

Chris Giancarlo ficou conhecido por ter influenciado a mudança de classificação do Bitcoin e do Ethereum junto a reguladores.

Hoje, ele já não trabalha na agência reguladora, atuando como evangelista de moedas digitais e é defensor do dólar digital. No entanto, sua opinião pode pesar em uma futura decisão da SEC, agência americana equivalente à CVM no Brasil.

Participe da nossa Comunidade de Trading no Telegram para acessar sinais exclusivos de negociação, conteúdo educacional, discussões e análises de projetos!

Ripple pode decolar de vez

A XRP é a quarta criptomoeda do mundo em valor de mercado. Ela fica atrás somente de Bitcoin, Ethereum e Tether. No entanto, o ativo já foi muito mais forte.

Dessa maneira, a elevação de padrão proposta por Giancarlo pode fazer o XRP voltar a se valorizar. Nesta manhã, o Mercado Bitcoin reportou aumento de 3,34% da criptomoeda em 24 horas.

Caso reguladores decidam tirar a XRP do rol de valores mobiliários, a Ripple também pode ser muito beneficiada. Atualmente, a empresa já oferece a RippleNET para uma gama de instituições financeiras. Além disso, é uma das que propõem uma plataforma de operação de um dólar digital que ganha cada vez mais força.

Mas, na visão de um colunista da Forbes, a mudança na visão de reguladores pode fazer a Ripple se tornar uma das fintechs mais bem avaliadas do mundo.

Atuação no Brasil

A Ripple vem reforçando sua presença no mercado brasileiro. Recentemente, uma equipe de executivos da empresa se reuniu a portas fechadas com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Entre eles esteve o CEO Brad Garlinghous, que disse, depois depois, apostar que um novo rali do Bitcoin está próximo.

A companhia tem a intenção de expandir a atuação junto a instituições brasileiras. Bradesco, Santander e Itaú, por exemplo, são alguns bancos que já usam a RippleNET para liquidar remessas internacionais. Além disso, o Banco Rendimento é o primeiro a utilizar a nova RippleNet Cloud.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá