Satoshi em ação? Carteira transfere Bitcoin após 11 anos

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Carteira inativa desde 2009 movimenta 50 BTC

  • Transferência chamou a atenção da comunidade cripto

  • Como os BTC transacionados datam da origem do Bitcoin, alguns acreditam se tratar da carteira de Satoshi Nakamoto

  • promo

    Participe da nossa comunidade gratuita no Telegram e obtenha sinais de trade e análises de criptomoedas todos os dias!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Carteira transfere Bitcoin após 11 anos dormente. A atividade após longo período sem movimentar nada chamou a atenção da comunidade cripto. Muitos especulam se a carteira pertence a Satoshi Nakamoto, suposto criador do Bitcoin.

Patrocinados



Patrocinados

ATUALIZAÇÃO 21/05/2020: o tweet original do whale alert citou a movimentação de 40 BTC. Porém, outras fontes indicam que após a primeira, outras movimentações foram realizadas, totalizando 50 BTC.

Uma antiga carteira acaba de movimentar 50 BTC.

Patrocinados



Patrocinados

Isso não seria uma grande notícia, se não fosse pelo seguinte fato: essa carteira não realizava uma transferência desde 2009.

Dessa maneira, a comunidade cripto está especulando sobre quem é o dono desses Bitcoins.

De fato, vale questionar: por que alguém manteria 50 Bitcoins numa carteira por mais de uma década?

Vale ressaltar que a origem dos Bitcoins movimentados pela carteira em questão é extremamente curiosa.

Carteira transfere Bitcoin após 11 anos de inatividade

A atividade da carteira em questão chama a atenção por dois pontos: o tempo de dormência e a origem dos BTC movimentados:

Carteira movimentou BTC após 11 anos inativa

Desse modo, conforme consta no tweet do @whale_Alert, 50 BTC foram transferidos de uma possível carteira pertencente a Satoshi Nakamoto para uma carteira desconhecida.

O detalhe é o fato de que as criptomoedas movimentadas foram mineradas no primeiro mês de existência do Bitcoin.

Assim, a especulação está acontecendo a todo vapor na comunidade cripto.

Valor do Bitcoin em 2009

Se a carteira pertence a Satoshi Nakamoto ou não, é impossível definir com exatidão.

Conforme é de amplo conhecimento da comunidade cripto, ninguém sabe ao certo quem é Satoshi.

Para muitos, o nome pode se tratar de um pseudônimo utilizado por um grupo de programadores, ao invés de se tratar apenas de uma pessoa.

De toda maneira, vale ressaltar o seguinte: até março de 2010, o Bitcoin valia perto de 0.

Naquela época, um usuário (SmokeTooMuch) tentou leiloar 10.000 BTC por U$ 50,00, mas não encontrou interessados.

O valor do Bitcoin seria equiparado a U$ 1,00 apenas em fevereiro de 2011.

Agora, com o Bitcoin em torno de U$ 9.500,00, a valorização é praticamente incalculável em relação ao preço da moeda em 2009, quando ela valia pouquíssimas frações de um dólar americano.

Impossível determinar o dono da carteira

Até o presente momento, não é possível saber quem é o dono dessa carteira.

Porém, é de se entender que a movimentação de Bitcoins que datam da origem da criptomoeda atraia tanto interesse.

A gigantesca maioria de Bitcoins em movimentação na atualidade tem uma origem muito mais recente.

Para diversos investidores, a descoberta sobre o paradeiro de Satoshi Nakamoto pode interferir diretamente no preço da criptomoeda.

Isso porque, caso ele seja “encontrado”, as pessoas vão começar a pesquisar o seu histórico de vida para tentar influenciar no preço do criptoativo.

Além disso, alguns investidores estão com medo de que ele faça um dumping da sua larga fortuna de Bitcoins.

Logo, vale esperar para ver se, um dia, vão descobrir quem é Satoshi Nakamoto.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Patrocinados
Share Article

Nicolas se formou em Direito pela Universidade Federal do Paraná e é pós-graduado em Gestão de Negócios Internacionais. Atualmente, cursa Jornalismo na FAPCOM. Escreve sobre economia, política e história há alguns anos. Em 2017, após entrar em contato com a tecnologia blockchain, se entusiasmou com o seu potencial e passou a estudar as aplicações da tecnologia aos diversos setores da economia. Seu foco está em discutir as melhores maneiras de alavancar o desenvolvimento nacional através do uso do blockchain e das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora