“SEC quer saber até quanto gastamos no supermercado”, reclamam diretores da Ripple em novo processo

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Brad Garlinghouse e Christian Larsen enviaram à justiça dos EUA mais uma reclamação contra a SEC.

  • Eles alegam que os reguladores estão exagerando ao pedir acesso ao histórico bancário completo de ambos.

  • Nós últimos anos, os dois diretores teriam lucrado cerca de R$ 3 bilhões com as vendas de XRP.

  • promo

    Participe da nossa comunidade gratuita no Telegram e obtenha sinais de trade e análises de criptomoedas todos os dias!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A batalha da Ripple contra os reguladores continua a todo vapor. Agora, os diretores da empresa estão reclamando do acesso indevido da SEC a suas contas bancárias.

Patrocinados



Patrocinados

Os dois principais executivos que lideram a Ripple, Brad Garlinghouse e Christian Larsen enviaram mais uma reclamação à justiça dos Estados Unidos.

Dessa vez, eles alegam que a Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC), está exigindo um acesso inapropriado às contas bancárias de ambos os diretores.

Patrocinados



Patrocinados

A SEC atualmente investiga a Ripple e seus executivos pela emissão e distribuição não autorizada da criptomoeda XRP, considera pelo órgão um valor mobiliário.

Nesta investigação, a SEC enviou uma intimação a seis bancos pedindo acesso ao histórico bancário dos dois diretores.

Os dados solicitados correspondem oito anos de movimentações financeiras, sem fazer distinção entre gastos pessoais e os relacionados à empresa.

A medida da SEC revoltou os executivos que enviaram uma carta a um juiz federal de Nova York pedindo que a SEC seja obrigada a cancelar a intimação aos bancos.

De acordo com os advogados de Garlinghouse e Larsen, os reguladores estariam agindo de forma “inadequada”.

“Conforme elaborado, esses pedidos (da SEC) exigem tudo, desde atividades de negócios não relacionadas a quanto dinheiro eles gastam no supermercado todas as semanas. A SEC não ofereceu e não conseguirá fornecer uma explicação coerente de por que tem direito a essas informações.”

Os executivos afirmam que estavam dispostos a oferecer informações sobre transações relacionadas a Ripple e XRP. No entanto, a SEC exigiu o histórico completo de todas suas movimentações financeiras. 

Executivos lucraram R$ 3 bilhões com XRP

Apesar dos diretores da Ripple alegarem exagero, as exigências da SEC não vem sem motivo.

De acordo com o órgão, Brad Garlinghouse e Christian Larsen obtiveram um lucro pessoal de cerca de R$ 3 bilhões com a venda de tokens XRP.

A partir do momento que a SEC classifica XRP como valor mobiliário, esses lucros seriam proveniente de uma atividade ilegal. Isso porque a característica do ativo exigia a autorização da SEC para circular.

Por outro lado, Garlinghouse e Larsen afirmam que a SEC não teria formas de provar suas acusações. Aliás, no início da semana, eles já haviam enviado uma moção à justiça americana solicitando a retirada das denúncias dos reguladores.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Patrocinados
Share Article

Saori Honorato é jornalista e para o BeInCrypto escreve sobre os principais acontecimentos do universo das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora

Sinais de mercado, estudos e análises! Entre hoje no nosso Telegram!

Entrar agora