Será a Libra o primeiro estágio de uma Umbrella Corporation?

Compartilhar Artigo

Recentemente, você provavelmente ouviu que o Facebook anunciou sua “criptomoeda”, Libra. Mas o que exatamente aconteceu?



O Facebook lançou um white paper. Não é uma criptomoeda, não é uma rede, não é um projeto, nem mesmo um aplicativo. É apenas um artigo e todo mundo está pirando porque o Facebook escreveu um artigo. Existe um longo caminho a percorrer entre o artigo e uma rede de produção disponível para dois bilhões de usuários, envoltos em uma interface Farmville de cores brilhantes. Mas quando eles lançaram o white paper, as pessoas ficaram realmente empolgadas.

Uma análise aprofundada exigirá muito mais estudo, por isso não abordaremos muito a tecnologia aqui e não sabemos realmente como isso vai acontecer. Portanto, devemos nos concentrar no que mudou: tudo mudou com esta publicação. Seja o Facebook capaz ou não de colocar a Libra em produção. O mero fato de que este white paper ter sido lançado agora definiu o padrão. O Vale do Silício está avançando com tudo para cima do setor bancário. Isso é algo que estava sendo previsto há anos. Muitas pessoas pensaram que seria a Amazon primeiro, mas na verdade foi o Facebook – que é muito pior.



Breve resumo do white paper

Se ainda não viu, o whitepaper é uma colaboração entre cerca de trinta empresas. O artigo é realmente muito impressionante, em termos de visão tecnológica. Essas pessoas são muito sérias. Eles parecem bem informados sobre o que está sendo feito no espaço de criptomoedas e blockchain. Eles escolheram alguns recursos das melhores criptomoedas, a tecnologia de ponta, e planejam avançar um pouco. Eles a sintetizaram em algo que soa bastante impressionante do ponto de vista da tecnologia. Eles pegaram idéias da Ethereum, como uma máquina virtual para execução de contratos inteligentes e gás, uma árvore de estado Merkle que pode ser adicionada à cordilheiras Merkle, ou à árvore de estado Ethereum, uma moeda digital incorporada ou intrínseca, uma rede federada de validadores de prova de autoridade, semelhante ao Ripple ou EOS, coisas que são um tipo de blockchains, mas não exatamente. O algoritmo de consenso deles não é exatamente novo. É um algoritmo de consenso tolerante a falhas bizantinas, que não é prova de trabalho, mas eles dizem que desejam deixá-lo como Proof-of-Stake (Prova Econômica). Existem algumas coisas realmente muito interessantes no documento. Eles juntaram esses componentes e criaram algo que é impressionante do ponto de vista da tecnologia.

É impressionante por causa de quem fez isso, não com base no que realmente foi feito. Se você tivesse lançado esse documento com trinta colaboradores, todos teriam descartado. “Ok, criaram outra blockchain …” Mas quando uma empresa com dois bilhões de usuários faz isso, as pessoas entendem que isso pode ter um grande impacto. Agora veremos se essa ideia sobrevive ao primeiro contato com os gerentes corporativos do Facebook. No momento, este é um projeto incubado. É idealista e é bastante agressivo em sua visão. Ele está focado em ser descentralizado, um pouco agora e ainda mais no futuro, permissionado agora, mas não permissionado no futuro, com prova de autoridade agora, mas com prova de participação no futuro. Uma visão agressiva e progressiva. Mas essa visão vai direto para um monte de MBAs e advogados na sede do Facebook, ou talvez não. Veremos… Será realmente interessante ver quanto dessa visão sobrevive a implantação. Isso determinará o que acontece a seguir. Se sobreviver na implantação, poderá se tornar muito bem-sucedida e um grande gerador de dinheiro. Os executivos ficarão muito animados.

O finado idealismo do WhatsApp

Algumas coisas no white paper são bastante surpreendentes. Por exemplo, o uso de uma associação para separá-la do Facebook e a promessa de não usar as informações de perfil em sua conta do Facebook. Eles usarão isso em colaboração com a moeda? No momento, dizem que as informações não serão compartilhadas e usadas para vigilância. O projeto não será usado para nenhum desses propósitos nefastos… Até você receber um e-mail no futuro sobre a atualização nos termos e condições. Imagine você recebendo um e-mail com a seguinte mensagem: “Estamos enviando esse e-mail muito importante para notificá-lo sobre alterações em nossos Termos e Condições. Leia as 600 páginas a seguir para entender como removemos completamente o devido processo e sua privacidade. Muito obrigado! Equipe do Facebook “. Todas as promessas serão mudadas no momento em que o projeto se tornar um sucesso. Se você acha que não é esse o caso, veja o que aconteceu com o Whatsapp.

Os fundadores da empresa começaram com o mesmo tipo de visão idealista e partiram, perdendo centenas de milhões de dólares em salários e bônus. Se a confidencialidade da sua comunicação fará a diferença entre sobreviver ou não, se você é uma das milhões de pessoas que estão marchando em Hong Kong esta semana, não use o Whatsapp. Não use o Whatsapp se você é dissidente, ativista ou político. (Use o sinal.)

Será que algo semelhante vai acontecer? As grandes empresas tendem a engolir a inovação, arrancar as partes disruptivas e cuspir algo neutralizado. Algo que gera lucro ao explorar usuários, porque essa é sua obrigação para com os acionistas. Mas neste caso talvez não seja assim, veremos…

Aumentando a complexidade no controle de emissão monetária

De modo geral esse é o conteúdo técnico deste artigo. Agora, todos estão trabalhando no chamado problema dos três corpos. Até agora, estávamos vendo esse espaço como a interação entre duas forças principais: de um lado, o dinheiro fiat dos estados-nação, como os chamamos ironicamente no meio cripto; do outro lado, temos o dinheiro das pessoas, criptomoedas abertas e sem fronteiras para todo mundo usar. Essas duas forças estão orbitando e exercendo pressão uma sobre a outra e, neste momento, as criptomoedas são um monte de pequenos asteróides. As Fiats são um grandes planetas cheio de formas de vida bem-sucedidas, que estão olhando para o céu e se perguntando sobre o que seria aquela coisa brilhante no céu que parece estar ficando maior a cada momento (o Bitcoin). Algumas pessoas chamam isso de experiência dos dinossauros.

Resolver o problema de dois corpos de uma perspectiva política, tentando descobrir o que acontece quando estados-nação e criptomoedas abertas colidem, já é bastante difícil. Não é possível generalizar, porque as nações estão se posicionando de maneiras diferentes. Algumas estão apavoradas e banem completamente o uso de criptomoedas. O Equador foi um dos primeiros a bani-lo completamente. A China já proibiu dezenas de vezes até agora, todas elas sem sucesso. A Índia meio que proibiu duas vezes. No entanto, em muitas nações avançadas, as criptomoedas têm realmente prosperado. No países que chamamos de “sociedades livres”, a idéia de proibir a moeda privada é constitucionalmente problemática. Tanto a Constituição dos Estados Unidos quanto a do Reino Unido protegem a liberdade de expressão, já que o dinheiro é uma forma de discurso político. Isso é algo valorizado nas sociedades livres. Não é tão fácil banir criptomoedas.

Mas havia muita tensão no Twitter, com uma grande discussão sobre se a Libra do Facebook é uma criptomoeda ou não. Mas essa pergunta não faz muito sentido. Não faz sentido, porque a Libra do Facebook é algo novo. É uma moeda digital corporativa. Não vimos moedas corporativas desde as guerras do ópio, o feudalismo medieval e os Medici. Com o surgimento do neo-feudalismo corporativo, um dos principais estados corporativos, a supra-nação do Facebook, está lançando sua própria moeda. O quão adequado será?

As coisas se tornarão muito interessantes, por várias razões. Agora temos um impasse de três pontos. Agora é dinheiro das corporações, dinheiro das pessoas e dinheiro dos governos. Todos os três existirão. Nenhum deles vai desaparecer em breve. De fato, mais se juntarão. As portas foram abertas… O Facebook é o primeiro dos FANGs; o resto está mostrando suas presas e pronto para atacar. “FANGs”, para quem não sabe, significa Facebook-Amazon-Netflix-Google e as empresas de bilhões de dólares em tecnologia do Vale do Silício. Há também o Twitter, Uber e Airbnb. A era das moedas da Internet acabou de começar. O Vale do Silício está avançando em direção aos bancos, de uma maneira que nunca havia acontecido antes. Os banqueiros estavam muito confortáveis ​​até agora.

Os bancos tiveram mais de dez anos para descobrir como lidariam com as moedas digitais. No caso da indústria da música, eles deveriam ter feito um acordo com o Napster; em vez disso, eles lutaram com unhas e dentes e entregaram toda a indústria à Apple. Os bancos deveriam ter feito um acordo com o Bitcoin quando era a lagartixa fofa das criptomoedas. O Facebook é um Triceratops de mídia social e está chegando ao setor deles, para atrapalhar muitas coisas.

Quem será afetado primeiro?

Pode parecer realmente estranho, mas os primeiros a serem afetado por isso não serão os grandes bancos de investimento ruins que fazem acordos obscuros para resgatar ditadores e coisas assim, serão os bancos de varejo. Os bancos que realmente atendem aos clientes. A maioria dos grandes bancos de investimento parou de receber clientes de poupança e conta corrente nos mercados consumidores quatro ou cinco anos atrás. A mentalidade deles é que as pessoas não pagam o suficiente e não merecem serviços bancários. Mas os bancos de varejo, a agência da esquina onde você conhece o gerente, ou pelo menos pode telefonar para ele para discutir novamente o seu cheque especial. Na verdade, esses bancos de varejo atendem inclusive a clientes desbancarizados. Eles serão duramente atingidos por esse novo fenômeno, porque o Facebook não possui apenas dois bilhões de usuários, mas conhece todas as suas preferências e padrões de comportamento. Eles podem usar isso para reduzir o custo bancário e envolvê-lo em uma interface de usuário colorida.

Toda vez que você fizer uma compra com Libra, o aplicativo fará cócegas em seus receptores de dopamina. Isso poderá encorajá-lo a fazer ou não certas coisas. Poderão brincar com você como um rato em um experimento de psicologia, onde não é se pode ver as bordas do labirinto porque as paredes são muito altas. Para aqueles de nós que têm prestado atenção à ascensão do tecno-feudalismo, é aterrorizante. O Facebook será eficaz em perturbar a regulamentação de uma maneira que os bancos não podem.

O Facebook agora está de olho nos bancos centrais. A Libra está sendo criada com base em uma cesta de moedas, com o objetivo de criar algum tipo de moeda estável. Mas essa stablecoin será estável em relação à sua moeda local que está hiperinflando. Imagine que você é o governo da Índia ou da Argentina e deseja seguir uma política de inflação ou desvalorização, mas 10% da sua população se mudou para a Libra. Eles podem colocar suas economias na moeda “forte” do Facebook. Bem, não é realmente uma moeda forte. Realmente não tem uma política monetária, dizem eles, mas é mais sólida que o peso argentino. É mais sólida que a lira turca, a rupia indiana e mais de uma centena de moedas ao redor do mundo.

Os bancos centrais perderão uma das grandes alavancas de poder que têm sobre a economia. O que eles vão fazer, banir o Facebook? Desligar 10% de sua economia? Eles vão tentar. Eles tentaram banir o Facebook durante protestos, golpe de estado de ditaduras e revoluções. Eles tentarão regular o Facebook, mas eles vão falhar. Imagine os pobres reguladores, com seus salários defasados, e acadêmicos do ministério de economia, enfrentando um exército de advogados de Wall Street em seu pequeno país, enchendo o estacionamento do aeroporto local com vários aviões Gulfstream, dizendo: “Vamos conversar sobre o que faremos com sua economia”.

O início da Era Pós-Nacional

Se não percebeu, o Facebook planeja lançar SDRs de nível de consumidor e varejo. O Fundo Monetário Internacional é uma instituição global que não é oficialmente controlada pelos governos. Ele usa contribuições dos estados membros, ou seja, uma cesta de moedas, para emitir uma pseudo-moeda chamada Direitos Especiais de Saque (SDRs). Os DESs fazem parte da estrutura internacional de taxas de câmbio flutuantes. Eles são os credores de último recurso para os governos. Eles fazem isso de uma maneira muito predatória. Eles impõem extrema austeridade aos governos que caem em suas garras, despojam suas indústrias, suas usinas de água, ferrovias e empresas de telecomunicações. O Facebook fará isso agora.

Se pensarmos sobre o que é a Libra: é uma pseudo-moeda de direitos especiais de saque, baseada em uma cesta de moedas fiat, financiada pela atividade do consumidor, nos mesmos países em que o governo solicitará (à Libra/Facebook) um empréstimo ou tentará reduzir sua atividade. Isso é coisa muito séria. Acabamos de entrar na era pós nacional. O poder de controlar o dinheiro costumava ser uma prerrogativa exclusiva dos estados. Isso foi chutado pelo Bitcoin e agora ameaçado de decapitação pela Libra. O controle do banco central sobre a política monetária terminou com este white paper.

Atualmente, as empresas de tecnologia que valem um trilhão de dólares estão tendo a capacidade de cunhar seu próprio dinheiro. Eles transformarão radicalmente seus modelos de negócios, gerando mais dinheiro do que você pode imaginar. Muito em breve, eles diminuirão o PIB de pelo menos um terço das nações deste planeta. Quando o FMI é chamando, a maioria dos governos se encolhe de medo. Mas eles não têm idéia de quão pior será quando o Facebook, Google ou Apple ligar para fazer alguma cobrança. Talvez até o Twitter possa derrubar alguns governos. Em breve, o Uber ditará não apenas aos motoristas de táxi, mas também à câmara local e talvez ao gabinete de ministros. Para os amantes de filmes, estamos testemunhando algo semelhante ao nascimento da corporação Umbrella, da série Resident Evil.

Estamos nos aproximando de um novo mundo no qual três forças competirão: dinheiro do povo, dinheiro do estado e dinheiro das corporações. Isso é uma encruzilhada. Precisamos fazer algumas escolhas muito cuidadosas. Mas há esperança por várias razões. Eles realmente farão uma contribuição para a tecnologia, quer queiram ou não. Eles introduzirão um bilhão de pessoas com o tipo errado de criptomoeda, assim como a AOL apresentou as pessoas com o tipo errado de internet.

O que você pensa sobre esse tema? Deixe sua opinião nos comentários.

Imagens cortesia de Shutterstock, Twitter

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Vini se formou em geologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, Brasil e trabalhou com gerenciamento de projetos na área de exploração mineral em empresas como BHP Billiton e Vale. Ele se envolveu com o bitcoin em 2011, quando comprou suas primeiras moedas através do jogo online “Second Life”, mas usou a maioria de suas primeiras moedas aprendendo a fazer transações e negociar. Depois disso, ele se tornou um entusiasta da tecnologia blockchain e desde então focou sua carreira para esse campo. Recentemente, ele se dedica à programação frequentando o Le Wagon Coding Bootcamp e Ivan On Tech Academy.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá