Site usado por coaches pode ter vazado cartões de 12 milhões de brasileiros

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Novo vazamento de dados expõe cartões de 12 milhões de brasileiros.

  • Responsável teria sido plataforma de venda de produtos digitais.

  • Serviço é muito popular entre coaches.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Mais um vazamento de dados expõe informações pessoais de milhões de brasileiros – dessa vez, cartões de crédito estão à venda na dark web.



Dados de cartão de crédito de 12 milhões de brasileiros surgiram à venda em um fórum da dark web. Segundo o anúncio, eles teriam sido provenientes da Eduzz, plataforma rival do Hotmart que é popular entre coaches para venda de e-book e cursos. Interessados pelo material roubado podem adquirir o pacote por US$ 50 mil, cerca de R$ 276 mil.

O anúncio veio à tona na manhã da última quinta-feira (25) e foi revelado pelo Estadão. Segundo o jornal, o suposto hacker por trás do vazamento alega que os dados de cartões vieram da Eduzz e de outros quatro sites da mesma empresa: Nutror, Alumy, Blinket e Jobzz.



Enquanto a Eduzz foca em venda de produtos digitais, a Nutror se especializa em cursos online. Já a Alumy é um sistema que permite criar clubes de assinatura digital para aulas online. A Blinkett, por outro lado, tem foco em eventos. Por fim, a Jobbz é um marketplace para anúncios de profissionais autônomos para prestação de serviços.

Eduzz é uma plataforma de venda de produtos online muito usada por coaches

Vazamento de dados é o terceiro apenas em 2021

O suposto vazamento de cartões de crédito da Eduzz é o terceiro caso do tipo apenas este ano. No final de janeiro, especialistas descobriram um pacote de dados exposto na web com tamanho sem precedentes, contendo score de crédito e outras informações de 220 milhões de CPFs.

A base de dados parecia ter relação com a Serasa Experian. No entanto, dias depois, pesquisadores perceberam que parte da base poderia ter vindo do TSE. Hoje, quem investiga o caso trabalha com a hipótese de múltiplas fontes para o vazamento.

Em fevereiro, a empresa de segurança Psafe descobriu outro vazamento em larga escala, dessa vez de números de celular. Mais de 100 milhões de pessoas estariam com dados expostos na dark web, entre elas personalidades como, por exemplo, o presidente Jair Bolsonaro.

Neste caso, no entanto, os dados parecem ter vindo de operadoras de telefonia celular. Entre as informações vazadas estão nome, RG, CPF, CNPJ, e-mail, endereço, número do telefone, tempo de duração das ligações, registro de pagamentos, valor de faturas e até dívidas.

Apesar de o suposto vazamento da Eduzz ter sido menor, o fundador da empresa de segurança Syhunt, Felipe Daragon, o considera preocupante. Para ele, o pacote com 12 milhões de cartões também pode incluir senhas, o que abriria portas para hackers testarem os mesmos códigos em outros serviços online.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá