Só 10% das taxas Ethereum vêm de transações com ETH; veja ranking

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Cerca de 90% das taxas são pagas por outros ativos baseados em Ethereum

  • Metade desse volume é bolo de tokens variados que incluem DeFi e games

  • USDT domina com força o grupo de stablecoins

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

As taxas pagas à rede Ethereum vêm aumentando consideravelmente nas últimas semanas. No entanto, um levantamento aponta que apenas 10,7% das taxas no mês de maio se devem à movimentação da criptomoeda ETH. Boa parte vem do USDT.



A ETH, vale lembrar, é apenas um dos ativos digitais que funcionam na rede Ethereum. A plataforma hospeda um sem número de outros tokens e criptomoedas. Apesar de cada uma ter seu valor de mercado independente, as taxas de transações são pagas em ETH.

Segundo o analista Rafael Schultze-Kraft, do Glassnode, chegou a 20% as taxas pagas em transferências de Thether (USDT) no mês passado.



Desde 2019, uma quantidade crescente de taxas do #Ethereum está sendo usada para transferências de stablecoin. Em maio de 2020, cerca de um quinto (20%) de todas as taxas de transação foram consumidas por transferências de USDT.

Participe da nossa Comunidade de Trading no Telegram para acessar sinais exclusivos de negociação, conteúdo educacional, discussões e análises de projetos!

Ranking Ethereum

Considerando o consolidado de 2020, há uma variação na distribuição das taxas. Nos primeiros cinco meses do ano, mais da metade das taxas foram pagas por movimentações em contratos inteligentes fora dos padrões mais populares ERC20 e ERC721.

Esse grupo envolve DeFi, jogos, tokens e até um golpe de pirâmide financeira. Apenas a empresa russa MMM, que operava um esquema ilegal de criptomoedas, responde por boa parte desse bolo.

Na sequência, aparece o USDT, com 19,4%, seguido do grupo de tokens ERC20, com 12,6%. Depois, pagam mais taxas as transferências Ethereum para contas externas, com 11,5% do total levando em conta o ano de 2020.

Esse mesmo tipo de transferência com o valor de transação zerado contribui com 1,9%. Por fim, aparecem as demais stablecoins baseadas em Ethereum, com 1,4%, e os contratos ERC721, com 0,8% das taxas.

Domínio do Tether (USDT)

Estima-se que, atualmente, as stablecoins baseadas no Ethereum, como o USDT, superem o volume de ETH em cinco vezes.

O domínio do Tether considerando apenas esse grupo é massivo. De acordo com Schultze-Kraft, o USDT foi responsável, em maio, por 79,1% de todas as stablecoins Ethereum transacionadas.

Em segundo lugar aparece o USDC (8,9%), que recentemente chegou ao Mercado Bitcoin. Depois surgem BUSD (5,0%), DAI (3,2%), PAX (2,6 %), HUSD (2,5%) de mais que somam, juntas, menos de 1%.

Tendo em vista o cenário, portanto, os números devem mudar bastante uma vez que a OMG Network, do Tether, for colocada em funcionamento.

Taxas exorbitantes

A análise, vale lembrar, não leva em conta as transferências com taxas exorbitantes que chamaram atenção na última semana. Uma teoria defendida por Vitalik Buterin considera que o caso teria sido ocasionado por um provável crime de extorsão.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá