Stablecoins como a Libra do Facebook podem ser um ‘risco social’, afirma diretor do BCE

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Membro do Banco Central Europeu avalia os prós e contras das stablecoins

  • A Libra do Facebook pode não ser bem-vinda em solo europeu

  • Para BCE, stablecoins de empresas estrangeiras ameaçam a soberania monetária da UE

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O controle total de gigantes de tecnologia sob os dados pessoais de usuários e suas movimentações financeiras, vem preocupando autoridades que ressaltam o lado mais obscuro das stablecoins.



A alerta foi feita por Fabio Panetta, membro da Conselho Executivo do Banco Central Europeu (BCE). Durante o seu discurso em um evento na Itália nesta quarta-feira (5), o economista pesou os prós e os contras das stablecoins.

Conforme Panetta, o setor de pagamentos está passando por uma transformação digital. Ele indica que o modelo de negócios baseado em taxas, foi substituído pelo baseado em dados.



Dessa forma, mais serviços de pagamentos se tornam gratuitos. Em contrapartida, a empresa que pode coletar um número gigantesco de dados pessoais. De tal forma que possua uma visão profunda das preferências dos usuários.

Isso é praticado especialmente pelas gigantes da tecnologia. De acordo com o diretor do BCE, as empresas usam o modelo para aumentar a base de clientes. Também se expandem em mercados globais através de stablecoins.

Libra do Facebook está na mira do BCE

Penetta destaca como um exemplo a Libra, o projeto de criptomoedas do Facebook que também conta com stablecoin.

Ele confessa que as moedas virtuais de grandes empresas podem trazer eficiência e economia. Apesar disso, o controle que elas exercem sob os dados dos usuários não deve ser ignorado.

“O outro lado do stablecoins é a série de riscos que eles podem representar para nossa vida social e econômica. Os modelos baseados em dados podem representar um risco de uso indevido de informações pessoais para fins comerciais, o que pode colocar em risco a privacidade, a concorrência e prejudicar grupos vulneráveis.”

O BCE se preocupa com o impacto que pode causar a ampla aceitação na Europa de uma stablecoin criada por empresas estrangeiras. Conforme o economista, isso colocaria em risco a soberania monetária dos países europeus.

A declaração do representante condiz com os movimentos mais recentes da Comissão Europeia. O órgão tem buscado manter o controle e criar regras de circulação de criptomoedas e stablecoins.

Vale lembrar que a Europa está estudando seriamente a implementação do euro digital. Não se sabe ainda se a UE vai impor restrições quanto a circulação de stablecoins em paralelo ao CBDC. No entanto, a fala do economista pode dar sinais que stablecoins controladas por empresas estrangeiras, como a Libra do Facebook, pode sofrer resistências no futuro.

O discurso da autoridade do Banco Central Europeu deixa claro que as instituições ainda não esqueceram os episódios recentes de violação de dados do Facebook, e explicita que o movimento anti-libra em solo europeu está longe de acabar.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Saori Honorato é jornalista e para o BeInCrypto escreve sobre os principais acontecimentos do universo das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá