STJ hackeado: processos bloqueados por ransomware em ataque de grandes proporções

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • STJ foi hackeado na terça-feira e provocou suspensão de prazos processuais

  • Segundo blog, uma fonte interna garante que todos os processos e e-mails foram bloqueados

  • Ataque caracteriza ação de ransomware

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) é alvo de um ataque hacker responsável por bloquear o acesso a todos os processos que tramitam na corte. Além disso, todos os e-mails internos estariam fora de acesso.



O ataque ocorreu na última quarta-feira (4), quando o STJ suspendeu todos os prazos processuais e adiou sessões virtuais marcadas para os próximos dias. Desde então, a equipe técnica do Tribunal vem tentando contornar o problema, que segue sem solução.

Nesta quinta-feira (5), o jornalista Diego Escosteguy revelou que os sistemas do STJ teriam sido alvo de um ataque de ransomware, cuja marca é a capacidade de criptografar os arquivos da máquina da vítima. A informação, que teria vindo de uma fonte interna, foi divulgada no blog O Bastidor.



Ainda segundo a publicação, o suposto hacker teria criptografado até mesmo os dados de backup, dificultando a restauração dos sistemas. Segundo o jornalista, “trata-se, seguramente, do mais grave ataque digital já cometido contra um órgão de estado do Brasil”.

Por ora, não está claro se os hackers teriam solicitado algum tipo de resgate. Ataques comuns de ransomware, vale lembrar, costumam envolver extorsão com pedido de pagamento em criptomoedas.

Ao O Globo, ministros do STJ afirmaram que a situação é “muito grave”.

Ministério da Saúde e governo do DF hackeados após STJ

Um dia após o ataque ao STJ, o Ministério da Saúde também foi hackeado. A pasta divulgou, nesta quarta, que seus sistemas haviam sido atingidos durante a madrugada. Como resultado, a rede do Ministério foi desativada, inviabilizando atividades remotas de servidores em meio à pandemia.

Segundo o site de IstoÉ, o órgão se limitou a dizer que seus sistemas apresentavam “inconsistência” e não deu detalhes do ataque. O que se sabe por enquanto é que o site do DataSus está inacessível. Além disso, o Ministério está sem acesso à internet, telefone fixo e e-mails.

Entre as providências tomadas por enquanto estaria o logoff de computadores e aplicativos do Ministério da Saúde utilizado por funcionários. A ofensiva hacker ao Ministério não teria afetado o atendimento ao público. Dessa maneira, marcação de consultas no SUS e outros serviços externos permanecem funcionando.

Também na tarde do dia 5, o Governo do Distrito Federal identificou uma tentativa de invasão nos sistemas e, por precaução, tirou alguns serviços do ar, como o do Detran, de escolas públicas e hospitais do distrito.

Ainda não se sabe se os problemas enfrentados pela pasta da saúde ou pelo governo do DF envolvem a criptografia de arquivos. Além disso, não está claro se os incidentes têm relação com o ataque ao STJ.

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá