Suspeito de hackear TSE, jovem de 19 anos diz ter agido ‘por diversão’ e feito tudo pelo celular

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Líder do grupo CyberTeam assume autoria do ataque hacker ao STE

  • Ele afirma ter agido sozinho e feito tudo pela 'diversão'

  • O jovem de 19 anos queria explorar vulnerabilidades da rede

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

As investigações do ataque hacker que atingiu o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no domingo da eleição, tem como principal suspeito um jovem português de 19 anos.



O hacker conhecido na internet pelo nome Zambrius, confirma a autoria no ataque que causou uma sobrecarga no site do TSE.

Conforme já noticiou o BeInCrypto, no domingo (15) das eleições municipais, o site do STE sofreu 486 mil conexões por segundo. O ataque do tipo DDoS, tenta derrubar um site do ar através de múltiplos acessos simultâneos.



O Estadão entrevistou Zambrius por e-mail, e ele conta mais detalhes sobre o ataque. O jovem português que está em prisão domiciliar, orquestrou todo o ataque só com o celular.

“Eu realizei tudo sozinho. […] Estou sem computador. Se o tivesse, acredite que o ataque teria um impacto muito maior.”

Desde o ataque, o Ministério Público Federal e técnicos do TSE investigam os responsáveis pela ofensiva e o que os motivou.

De acordo com o presidente do STE, Luís Roberto Barroso, havia uma clara tentativa de desacreditar o processo eleitoral brasileiro.

Questionado pelo Estadão sobre a relação do ataque e grupos extremistas brasileiros, o hacker afirma que agiu sozinho. 

Entretanto, ele assume ter conhecimento de que o ataque foi utilizado por bolsonaristas para espalhar fake news no país.

Tudo pela piada

Conforme Zambrius, ele atacou o STE só pela ‘diversão’ e que se não tivesse sido no dia da eleição, perderia a ‘piada’. 

Além do ataque DDoS, ele também declara ter sido o responsável pela divulgação, na mesma manhã de domingo, de dados confidenciais do TSE. Porém, ele relata que a invasão ao TSE não teve ligação com o resultado das urnas.

De acordo com Zambrius, a invasão teria sido uma forma de explorar vulnerabilidades da rede. Poucos dias antes da eleição, o TSE divulgou que fez um reforço na segurança do sistema da entidade.

As melhorias aconteceram porque outros órgãos brasileiros já foram alvos de hackers anteriormente, inclusive o STJ

Hacker é líder do grupo CyberTeam

Zambrius lidera o CyberTeam, grupo famoso na internet por orquestrar diversos ataques hackers, inclusive à instituições brasileiras.

Ele já foi preso anteriormente quando tinha 16 anos. Na época, era parte do LulzSec Portugal. Grupo este responsável por um ataque de 2012, que derrubou o site do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro.

Dessa forma, as investigações acreditam que Zambrius tenha envolvimento com outros hackers do Brasil. O seu alvo preferencial tende a ser instituições públicas, bancos e grandes corporações.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Saori Honorato é jornalista e para o BeInCrypto escreve sobre os principais acontecimentos do universo das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá