Termina o Ano Mais Desafiador para o Mercado de Criptomoedas no Brasil

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Golpes e empresas fraudulentas marcam o ano de clientes enganados que praticamente perderam seus investimentos.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

O Brasil viveu um ano de fracasso no mercado de criptomoedas em 2019. O ano termina com centenas de pessoas que decidiram investir em Bitcoin confiando em empresas fraudulentas. Se em 2018 o ano foi o fracasso para o preço do Bitcoin, 2019 é considerado o ano de golpes no Brasil.



Grandes empresas que o mercado confiava simplesmente não conseguem devolver as criptomoedas de seus clientes. Negócios com credibilidade não conseguiram chegar até o final do ano com suas promessas iniciais.

Teve gente que confiou Bitcoin em plataforma de arbitragem que prometia lucros acima de outros investimentos no mercado em geral. Investidores enganados em pirâmides financeiras que movimentava R$ 40 milhões com a promessa de aplicações em criptomoedas.



Ano começou com grandes promessas

O Brasil registrou uma façanha no início de 2019. Nos primeiros meses deste ano que chega ao fim, uma exchange genuinamente brasileira apresentava uma transação que chamou a atenção do mercado internacional.

A exchange brasileira, que agora está em processo de recuperação judicial, ficou entre as maiores empresas em movimentações diárias. Naquela altura, Binance e outras gigantes foram supostamente ultrapassadas pelo negócio. No entanto, pouco tempo depois deste feito a empresa simplesmente ruiu.

O problema no início seria uma fraude que resultou em um rombo de R$ 50 milhões. Desde maio que os clientes desta plataforma não recebem por suas criptomoedas custodiadas. Neste caso, era oferecido a famosa “arbitragem infinita”.

Arbitragem em Bitcoin é o tema de 2019

Ainda falando em arbitragem, outra plataforma ganhou até propaganda na Rede Globo. Ao conquistar 15 mil unidades de Bitcoin (BTC), o Atlas Quantum viu seu negócio ser afetado por um comunicado da (CVM).

Até então, a empresa oferecia lucros aos seus clientes utilizando a compra e venda de criptomoedas. Assim como o esquema mencionado acima, o Atlas Quantum “vivia” de arbitragem com o Bitcoin.

Porém, nem todo negócio com criptomoedas terminou o ano de 2019 bem. Esse também é o caso do Atlas Quantum que não paga investidores de Bitcoin desde setembro. Ou seja, o termo arbitragem esteve relacionado com negócios que tiveram dificuldades em honrar com saques de criptomoedas.

Criptomoedas usadas em pirâmides financeiras

Ao todo três grandes nomes no mercado de corretoras de criptomoedas no Brasil enfrentam problemas para pagar os seus clientes. Por outro lado, o problema é ainda maior quando é citado os golpes envolvendo pirâmides financeiras.

Enquanto exchanges não pagam clientes, investidores de pirâmides financeiras viram seus líderes serem presos. Por incrível que pareça, 2019 também é o ano da queda deste tipo de esquema que usa o “nome em vão” das criptomoedas.

O Bitcoin e outras moedas digitais não tem relação com esquemas investigados pela polícia. Acontece que empresas usam das criptomoedas para atrair suas vítimas.

Neste ano, a Indeal e a Unick chegaram ao fim após a deflagração de duas operações policiais. As duas empresas surgiram em Novo Hamburgo – RS, cidade considerada o “Vale das Pirâmides”. Com a promessa de lucros acima de 30% ao mês, as duas plataformas alegavam operações com moedas digitais como o Bitcoin.

Com golpes por todos os lados, muitos brasileiros devem terminar o ano sem ver suas criptomoedas de volta. Sendo assim, 2019 foi o ano mais desafiador para o mercado, que precisa amadurecer e reconquistar a confiança perdida depois de tantas fraudes envolvendo criptomoedas.

Qual sua opinião sobre o que aconteceu com o mercado de criptomoedas em 2019? Deixe seu comentário sobre a notícia e compartilhe com os amigos no Twitter.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

TÓPICOS RELACIONADOS

Com formação em ciências e redação, Alice começou a escrever profissionalmente há 7 anos. Desde então, ela tem aprendido, investido e escrito sobre criptomoedas e tecnologia blockchain para algumas das maiores publicações do setor. Atualmente, compõe a equipe de jornalistas Brasil da BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá