Theter “imprime” 100 milhões de USDT enquanto Bitcoin supera U$10.000

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Theter "imprime" USDT 100 milhões de uma só vez

  • A stablecoin mais popular do mundo sofreu críticas pela ação

  • Críticos se preocupam com a "impressão de dinheiro" sem controle por parte da empresa

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Theter “imprime” 100 milhões de USDT, o que gerou a fúria dos críticos desta stablecoin. A Theter é uma criptomoeda pareada com o Dólar americano. Contudo, muitos entusiastas das criptomoedas desconfiam dessa iniciativa.



A Theter Inc. acaba de emitir U$ 100.000.000,00 de USDT, o que está causando a ira de muitos críticos no Twitter.

Essa não é a primeira vez que há emissão em larga escala da stablecoin; muito pelo contrário: a Theter emite, de tempos em tempos, milhões de unidades da sua stablecoin.



Porém, a emissão de 100 milhões de USDT é extremamente significativa, já que corresponde a uma das maiores “impressões” na história da stablecoin.

Theter imprime 100 milhões de USDT

No Twitter, o Whale Alert postou a seguinte publicação:

Vale ressaltar que o Whale Alert é um serviço que rastreia grandes movimentações de criptomoedas em Exchanges e carteiras.

Dessa vez, o alvo das atenções foi o Theter (USDT).

Na teoria, a stablecoin é pareada com o valor do Dólar americano (USD).

Atualmente, há cerca de 8,3 bilhões de unidades de Theter “fabricadas”, segundo informações da própria emissora do Theter.

Theter movimenta mais dinheiro que o Bitcoin

O Theter é uma stablecoin extremamente relevante para o cenário cripto,

Isso porque o seu volume de negociação é maior do que o do Bitcoin, atualmente.

Dados do CoinMarketCap indicam o seguinte volume de transações, nas últimas 24 horas:

  • Bitcoin (BTC): R$ 337.927.608.595
  • Theter (USDT): R$ 406.966.723.561

Os números impressionam e dão um panorama sobre a relevância do Theter para os entusiastas das criptomoedas.

A utilização do Theter é extremamente concentrada no mercado asiático (70% do total).

Como os países de lá – em especial, a China – restringem o uso de criptos, as stablecoins ganham um papel de ponte entre o dinheiro e os Bitcoins, por exemplo.

Críticas ao Theter se acumulam a cada nova impressão

Apesar da sua popularidade, o Theter é alvo de críticas recorrentes entre os investidores de criptomoedas.

Isso porque, na visão deles, a empresa responsável pelo Theter realiza práticas que não condizem com aquilo que as criptomoedas deveriam representar.

O motivo é claro: uma empresa está imprimindo dinheiro “sem qualquer consequência”.

A Theter já chegou a imprimir U$ 2 bilhões no intervalo de um mês.

Porém, é injusto dizer que as pessoas não estão atentas: no ano passado, o Procurador Geral de New York processou a stablecoin por “imprimir dinheiro para cobrir cerca de U$ 850 milhões que estavam em falta nos fundos da Exchange Bitfinex”.

As críticas à stablecoin incluem os seguintes argumentos:

  • Possibilidade de “imprimir dinheiro” sem um mecanismo de controle, ao contrário do que ocorre com o Bitcoin
  • Influência no mercado de criptomoedas a partir da vontade de uma única empresa
  • Falta de transparência e envolvimento em escândalos como o ocorrido no processo de NY

Muitos usuários se referem ao Theter como um “scam”, ou seja, um golpe.

Contudo, até o momento, é possível dizer que o Theter está vivendo um excelente momento de mercado, já que é a criptomoeda mais utilizada do mundo.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Nicolas se formou em Direito pela Universidade Federal do Paraná e é pós-graduado em Gestão de Negócios Internacionais. Atualmente, cursa Jornalismo na FAPCOM. Escreve sobre economia, política e história há alguns anos. Em 2017, após entrar em contato com a tecnologia blockchain, se entusiasmou com o seu potencial e passou a estudar as aplicações da tecnologia aos diversos setores da economia. Seu foco está em discutir as melhores maneiras de alavancar o desenvolvimento nacional através do uso do blockchain e das criptomoedas.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá