Unick Só Vai Voltar a Pagar Depois que Líderes Forem Soltos da Cadeia

Compartilhar Artigo

Os pagamentos da Unick Investimentos somente serão retomados depois que os líderes da empresa forem soltos da cadeia. Essa parece ser a informação divulgada pelo escritório responsável pela negociação de cancelamentos da Unick. Sendo assim, os pagamentos de cancelamentos serão realizados após questões sobre a Operação Lamanai serem resolvidas com a justiça.



A Unick é apontada como um esquema de pirâmide financeira com clientes em todo o mundo. Sendo que as atividades da plataforma concentravam a maioria dos seus usuários no Brasil. A investigação aponta que a empresa possuía 740 mil investidores, que podiam movimentar R$ 40 milhões por dia na Unick.

Investidores vão receber depois que líderes forem soltos

Segundo o e-mail enviado pelo escritório de advocacia contratado pela Unick, não haverá movimentações financeiras para acordos de pagamentos em atraso. Dessa forma, os investidores da Unick não devem receber até que a justiça determine o desbloqueio das negociações.



O escritório Nelson Wilians foi contratado pela Unick em busca de resolver cancelamentos de pacotes de investidores com pagamentos em atraso. Com ligações e e-mails, o escritório ofereceu, em média, 20% daquilo que a Unick devia aos investidores. A contratação do escritório aconteceu antes da deflagração da Operação Lamanai.

A oferta do escritório seria uma forma de negociação dos pacotes de clientes com pedidos de cancelamentos. Porém, antes que qualquer pagamento fosse realizado, os líderes da Unick foram presos.

E, de acordo com o escritório responsável pela oferta dos pagamentos, a retomada das negociações não acontecerá tão cedo. Em um e-mail enviado nesta segunda-feira (04), o escritório afirma que os pagamentos devem acontecer depois que as questões da Unick forem resolvidas com a justiça.

Sem mencionar a prisão dos líderes da Unick, a mensagem orienta que as questões para serem resolvidas são relacionadas a Operação Lamanai. Ou seja, a operação policial em que os líderes da Unick foram presos recentemente.

E-mail sobre os pagamentos em atraso

A Operação Lamanai e a prisão dos líderes da Unick

No dia 17 de outubro de 2019 a Operação Lamanai desarticulou os negócios da Unick. Com dez mandados de prisão, nove líderes da plataforma foram presos de forma temporária pela justiça.

Um dos líderes conseguiu escapar da operação e encontra-se foragido. Além dos nove líderes que foram presos, a Operação Lamanai apreendeu 1.500 Bitcoins e carros de luxo. Mais de 200 policiais foram envolvidos na operação que encontrou ainda R$ 200 milhões em contas da Unick.

A investigação segue em curso, onde os líderes da empresa deverão responder judicialmente pelos crimes de que são acusados. Enquanto a Operação Lamanai não libertar os líderes da Unick, a empresa dificilmente pagará algum investidor.

Conhece alguém que está com investimentos retidos pela Unick? Comente sobre esta notícia e compartilhe no Twitter!

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Jornalista apaixonado pelo universo das criptomoedas e seu enorme impacto na sociedade. Conheceu o Bitcoin em 2013 sem saber que a criptomoeda tomaria conta de sua vida anos mais tarde. Já trabalhou em outros portais de notícias sobre criptomoedas, sendo que atualmente é um dos colaboradores do BeInCrypto.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá