US$ 50 mil vem aí? Bitcoin não perdeu fôlego apesar de queda, aponta indicador

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Preço do Bitcoin caiu fortemente nesta madrugada.

  • Movimento rendeu R$ 10 bilhões de prejuízo para traders.

  • Indicador, no entanto, sugere que nova subida é iminente.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Bitcoin rendeu prejuízo bilionário outra vez para quem apostava na subida de curto prazo, mas nem tudo parece estar perdido.



Baleias voltaram às vendas e o Bitcoin caiu novamente antes de atingir US$ 50 mil na madrugada desta segunda-feira (15). Com isso, traders que apostavam na subida tiveram perdas de mais de R$ 10 bilhões referentes a contratos de futuros em aberto.

Segundo a exchange de derivativos Bybt, houve US$ 1,1 bilhão em liquidações em apenas uma hora. Até as primeiras horas da manhã, o volume já alcançava US$ 1,89 bilhões, o equivalente a mais de R$ 10 bilhões.



O movimento é o inverso do que aconteceu na semana passada. Após a Tesla confirmar a compra de US$ 1,5 bilhão em Bitcoin, o preço disparou de cerca de US$ 39.000 para US$ 43.000. No meio do caminho, dessa forma, diversos contratos de quem apostava na queda foram liquidados.

A liquidação de um contrato futuro ocorre quando o financiamento do empréstimo para a alavancagem não é mais suficiente para suportar a variação de preço do ativo na contramão da aposta. No caso de quem aposta na subida (long), uma queda brusca pode devorar rapidamente os fundos alocados como garantia da operação.

Bitcoin recuou US$ 2.700 nesta madrugada | Reprodução: Coingecko

Em menos de duas horas nesta madrugada, o Bitcoin caiu de cerca de US$ 48.800 para US$ 45.100, segundo dados do portal Coingecko. Em exchanges de maior volume, como é o caso da Binance, por exemplo, o preço do Bitcoin alcançou a casa dos US$ 45.700. Dessa forma, traders comprados em preços muito acima desses níveis acabaram sendo liquidados.

No entanto, o movimento pode ser apenas mais uma oportunidade para investidores que buscam uma janela para ganhar no longo prazo.

Recuo foi mais uma janela de compra de Bitcoin para o longo prazo, aponta analista

Segundo o analista Ki Young Ju, da casa de análise CryptoQuant, a queda momentânea pode ter sido mais uma oportunidade para investidores que miram no Bitcoin após os US$ 50 mil. Dessa forma, a criptomoeda estaria sinalizando que deve continuar avançando.

Para o especialista, o argumento se baseia em um indicador que relaciona a quantidade de BTC e de stablecoins presentes em exchanges. O indicador, dessa maneira, busca prever o tamanho das pressões de compra e venda.

Quando o volume de stablecoins como USDT, USDC e BUSD, por exemplo, aumentam em relação ao Bitcoin, é sinal de que a criptomoeda tende a se valorizar. Segundo Ki Young Ju, é justamente esse cenário que o indicador aponta no momento.

Se você é um investidor de longo prazo, agora é a hora de comprar BTC . Não tenho certeza de quantas correções haverá ao longo do caminho, mas o indicador on-chain diz que há stablecoins suficientes nas exchanges em comparação com os Bitcoins para obter outra vantagem.

Após chegar próximo de US$ 46.000 na média global, o Bitcoin voltou a passar de US$ 48.000. No Brasil, o preço em reais não sofre impacto do dólar por conta do feriado no setor financeiro, então o Bitcoin se move seguindo o movimento em dólares. No fechamento da matéria, o Bitcoin era negociado, em média, a R$ 263,8 mil nas corretoras nacionais, segundo o Cointrader Monitor.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá