Vacinas contra Covid-19 surgem à venda na darknet por R$ 1.200 em Bitcoin

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Mercados ilegais da darknet estão inundados de anúncios de supostas vacinas contra a Covid-19.

  • Vendedores cobram US$ 250 em Bitcoin por vacina.

  • Crescem também sites falsos e campanhas de phishing relacionadas a vacinas.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Anúncios de supostas vacinas do coronavírus surgem em mercados ilegais na darkweb, onde o pagamento é sempre em criptomoedas.



Enquanto a vacinação contra a Covid-19 apenas começa mundo afora, a darknet já está inundada de anúncios de vendas de vacinas. Segundo um levantamento da Check Point Research, mercados ilegais da internet trazem diversas ofertas de supostos imunizantes vindos dos EUA, Espanha e Reino Unido.

Um dos anúncios oferece uma suposta vacina por US$ 250, ou pouco mais de R$ 1.200 na conversão direta. Como é comum em mercados ilegais da internet, o pagamento é pedido em criptomoedas. A Bitcoin é a mais comum, mas a Monero (XMR) também vem sendo muito adotada.



Para atrair a atenção de potenciais compradores, os anunciantes também mencionam remédios que ficaram famosos na pandemia, como a cloroquina. 

“Vacina para o Coronavírus disponível por US$ 250”, “Diga adeus à COVID19 = FOSFATO DE CLOROQUINA” ou “Compre rápido. VACINA PARA O CORONAVÍRUS DISPONÍVEL AGORA” são alguns exemplos. 

Anúncios de supostas vacinas contra o coronavírus surgem na darkweb| Reprodução: Check Point

Além disso, pelo menos um vendedor também aparece vendendo cloroquina. O medicamento, vale ressaltar, não tem eficácia comprovada no tratamento da Covid-19 e deixou de ser recomendado pelos EUA.

Há suspeitas de que anúncios sejam fraudulentos

Segundo os pesquisadores da Check Point, há vários indícios que levam a crer que os anúncios são falsos. Durante a investigação, os especialistas chegaram a iniciar uma tratativa para compra de uma das supostas vacinas. 

Vendedores dizem remeter vacina dos EUA, Espanha ou Reino Unido| Reprodução: Check Point

Em uma troca de e-mails, o vendedor disse que o imunizante requer 14 doses para uma pessoa. Não existe, entretanto, nenhuma vacina que exija mais de duas doses para um único paciente. Segundo o vendedor, as 14 doses custariam 0,01 BTC, quantia hoje equivalente a US$ 180, ou pouco mais de R$ 900.

Vendedores de supostas vacinas pedem pagamento em bitcoin | Reprodução: Check Point

Em outro exemplo, um vendedor afirma ter estoques de vacinas recém-aprovadas para venda e entrega no Reino Unido, EUA e Espanha. O contato seria supostamente feito por WhatsApp ou Telegram.

No entanto, para Oded Vanunu, chefe de pesquisa da Check Point, ainda não se pode dizer se as vacinas são mesmo falsas.

Ainda é demasiado cedo para dizer se estes vendedores são legítimos ou se são uma armadilha. O que é claro para nós é que os atacantes estão fazendo de tudo para se aproveitarem ao máximo deste tópico, como demonstram os dados que apresentamos sobre o crescente número de registos de domínios relacionados com a COVID

Novembro teve pico de sites falsos relacionados à vacina

A vacina contra o coronavírus é usada há meses como iscas para golpes online. No entanto, o movimento aumentou com a aprovação dos primeiros imunizantes, como as da Pfizer, da Moderna e de Oxford.

Segundo a Check Point, novembro teve o pico de novos sites registrados com nomes que remetem à vacina. Foram 1.062 novos domínios apenas no último mês, quantidade igual à soma dos três meses anteriores.

Número de novos sites com nomes que remetem a vacinas do coronavírus disparou em novembro| Reprodução: Check Point

As campanhas de phishing também estão plenamente ativas. Hackers seguem distribuindo  e-mails com anexos perigosos como “Download_Covid 19 Novas vacinas aprovadas.23.07.2020.exe”. O download infecta o computador com vírus que rouba dados como logins, nomes e senhas de usuário de serviços online.

Alguns ataques também visam roubar senhas gravadas em navegadores, colocando em risco, por exemplo, carteiras de criptomoedas. A tática envolve espalhar links que infectam a máquina da vítima com o Agent Tesla, um malware que coleta tudo o que é digitado e copiado com o Ctrl+V.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá