Visa deve adicionar real digital a cartão de criptomoedas no Brasil

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Para executivo da Visa no Brasil, as próximas moedas que constam no roadmap da empresa serão as emitidas pelo Banco Central.

  • Experiência poderia ser parecida ao que tem sido feito com a USDC nos Estados Unidos.

  • Visa pretende tornar as criptomoedas mais utilizáveis para pagamentos no Brasil.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A Visa pretende incluir como forma de pagamento no país o real digital, moeda que está sendo desenvolvida pelo Banco Central.



Em entrevista cedida ao site Tele Síntese, o Vice-presidente de Novos Negócios da Visa no Brasil, Eduardo Abreu, afirmou que o real digital, a moeda digital do Banco Central (CBDC), está na fila para ser adicionada à rede de liquidação direta da empresa após o USDC.

Para Abreu, as moedas emitidas pela instituição possuem a vantagem de ter a segurança de um órgão regulador e maior estabilidade, o que geraria mais benefícios e atratividade para os seus clientes.



A gigante de pagamentos já tinha anunciado recentemente o lançamento de um cartão compatível com diversas criptomoedas, que deve estrear no país ainda em 2021. Porém, até então a empresa não havia mencionado quais criptoativos entrariam no rol de moedas aceitas.

O Presidente do Bacen, Roberto Campos Neto, afirmou recentemente que o projeto do real digital estaria avançado, mas ainda não se sabe quando poderia ser a data de lançamento.

Por ora, os técnicos do BC trabalhariam com um prazo que iria até 2022, mas não se sabe se a recente nomeação de Campos Neto para um mandato até 2024 interferiria nos planos.

Visa planeja replicar experiência com USDC nos EUA

A intenção da companhia é realizar com o real digital, algo que já tem acontecido nos Estados Unidos, através da USD Coin (USDC) – stablecoin lastreado no dólar que realiza transações na rede Ethereum. A Visa converte de forma instantânea o valor de uma transação feita na criptomoeda para o dólar, através de uma parceria com a plataforma Crypto.com.

Apesar de possíveis entraves regulatórios apontados por especialistas, a empresa pretende trazer uma experiência parecida no Brasil.

Segundo Abreu, a Visa atuaria como a responsável por fazer a conversão instantânea de uma moeda pela outra, uma vez que muitos bancos e instituições brasileiras não dispõem de brokers especializados em fazer essas operações para os seus clientes.

“Estamos com equipe e estrutura para atuar fortemente no mercado de criptomoedas no Brasil, respeitando a regulação como ocorre nos Estados Unidos” – afirma Eduardo Abreu.

Ainda segundo a matéria, a entrada de bancos nacionais como o Itaú e o Banco Safra no mercado de criptoativos contribuíram para reforçar o movimento e adesão destes ativos em território nacional.

Nesse sentido, a Visa já possui iniciativas com diversos bancos digitais, para viabilizar a compra, venda e custódia de criptomoedas no Brasil. Além disso, a empresa pretende reforçar programas de cashback em criptomoedas como o oferecido em parceria com a fintech Alter.  

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Formado em administração e escritor por paixão, Anderson atua como redator para o BeInCrypto, escrevendo sobre as principais notícias sobre o criptomercado, economia e política.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá