Volume de trade de Bitcoin no Brasil cresce quase 900% em reais

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Volume nas exchanges em fevereiro cresce quase nove vezes em relação a 2020.

  • Aumento é ainda mais impressionante quando comparado com 2019.

  • Crescimento tem a ver com valorização do Bitcoin enquanto real derrete ante o dólar.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

Aumento tem relação direta com desvalorização do real nos últimos meses – dólar já bate R$ 5,71 nesta terça-feira (2).



O volume de trade de Bitcoin no Brasil aumentou quase nove vezes em fevereiro de 2021. O crescimento leva em conta os valores em reais quando comparados ao mesmo mês do ano anterior. Os números estão em um novo levantamento do portal Cointrader Monitor a partir de dados obtidos das próprias exchanges.

No mês passado, as exchanges de criptomoedas que operam no Brasil negociaram aproximadamente R$ 9,2 bilhões. O volume é 849,82% maior do que em 2020, quando trades de Bitcoin atingiram R$ 970,1 milhões em fevereiro.



O aumento no trade de Bitcoin é ainda mais impressionante em relação a 2019. Naquele ano, houve o equivalente a R$ 314,7 milhões em compra e venda de Bitcoin. Em dois anos anos, portanto, o mercado nacional vê avanço de 2.827,27%.

Por outro lado, houve queda de 1,86% no último mês em relação a janeiro de 2021.

Volume de Bitcoin transacionado também aumenta

Volume de trade de Bitcoin em exchanges no Brasil em fevereiro de 2021.

Exchanges não viram apenas o volume em reais crescer ano a ano. De acordo com o relatório elaborado pela Cointrader Monitor, corretoras com atuação no Brasil negociaram 36.168,66 Bitcoins em fevereiro, 57,23% a mais que em 2020 e 59,5% superior ao mesmo mês de 2019.

A campeã é novamente a Mercado Bitcoin, responsável por cerca de 22% (7.961 Bitcoins) de movimentação no mês. O dia que registrou a maior movimentação de Bitcoin foi no dia 23 de fevereiro, dia em que o Bitcoin corrigiu e chegou a atingir menos de US$ 46.000 depois de vir de US$ 58.000 dois dias antes.

Desvalorização do real fez Bitcoin encarecer em ritmo mais acelerado no Brasil.

A diferença de crescimento entre os volumes em reais e em Bitcoin está ligada à valorização do ativo na moeda nacional. Desde meados de 2019, enquanto o Bitcoin valorizou cerca de 550% em dólares, o crescimento do preço em reais já passa de 880%.

Nesta terça-feira (2), o real segue em ritmo de desvalorização e já é cotado a R$ 5,71, uma desvalorização de 4,77% em relação a 1º de fevereiro. Já o Bitcoin, segundo o Cointrader Monitor, tem preço médio pouco abaixo dos R$ 280.000 nas exchanges nacionais.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá