XRP ficará de fora da primeira exchange de cripto na bolsa

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • CEO da Bakkt descartou XRP nos planos para o futuro.

  • Exchange de derivativos de criptomoedas será a primeira do segmento com capital na bolsa.

  • Anúncio representa mais um revés para a moeda da Ripple.

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

CEO da Bakkt, primeira exchange a entrar na bolsa, descartou a XRP dos planos da corretora em meio a incertezas regulatórias.



A XRP não estará disponível na primeira Bakkt, primeira exchange de criptomoedas do mundo a abrir capital na bolsa. Em entrevista recente, o CEO da corretora garantiu que a moeda da Ripple não está nos planos da empresa.

A exchcange, especializada em derivativos de criptomoedas, anunciou na última segunda-feira (11) sua entrada na bolsa de valores de Nova York (NYSE). A operação se dará por meio de uma fusão com a VPC Impact Acquisition Holdings, que já tem capital aberto. Juntas, as empresas têm valor de mercado de US$ 2,1 bilhões, ou R$ 11,5 bilhões.



Em entrevista ao podcast Axios, o CEO da Bakkt, Gavin Michael, falou um pouco sobre os planos da empresa. Na oportunidade, ele chegou a mencionar que algumas listagens de criptomoedas estão a caminho. A XRP, no entanto, não será uma delas.

Entramos no mundo das criptomoedas por meio do Bitcoin … Temos outras [criptomoedas] que estão programadas para entrarem a bordo como parte do desenvolvimento do produto, mas a XRP não estará disponível.

Mais uma derrota da XRP

A XRP vem sofrendo perdas consideráveis desde que virou alvo da SEC, órgão americano equivalente à CVM. Segundo os reguladores dos EUA, a criptomoeda da Ripple é um valor mobiliário. Dessa forma, a empresa teria infringido a lei ao vender o ativo ao longo de pelo menos sete anos.

Desde então, a XRP foi removida de diversas exchanges e a Grayscale desfez o fundo relacionado após despejar seus ativos no mercado. Além disso, investidores da Ripple chegaram a pedir a devolução de milhões de dólares aportados no passado.

A XRP chegou a se recuperar com um salto de 50% na primeira semana de janeiro. No entanto, em meio à correção do Bitcoin, o ativo voltou a cair fortemente. De US$ 0,35 no domingo (10), a XRP caiu para atuais US$ 0,28, segundo dados do Coingecko.

Decisão da Bakkt tem a ver com preocupação sobre regulação do setor

Apesar de ainda ser a quarta maior criptomoeda mais valiosa do mundo, a XRP levanta preocupações em meio ao processo da SEC. Do ponto de vista das exchanges, o temor é que uma eventual condenação também atinja as corretoras que listam o ativo. A Coinbase, por exemplo, que também mira abertura de capital e já se livrou da XRP, poderia ser um dos alvos.

No caso da Bakkt, os executivos disseram ter preocupação em seguir à risca a regulação imposta pelo governo americano ao setor. No plano de fundo está também o ambiente hostil às exchanges especializadas em derivativos.

Acreditamos na necessidade de continuar a buscar regulamentação sobre o uso desses ambientes como rampas para o sistema financeiro.

Segundo o CEO da Bakkt, a exchange pretene reforçar um processo de identificação de clientes (KYC) que “atende à regulamentação discutida atualmente.”

Vemos uma vantagem competitiva para a plataforma que criamos quando pensamos sobre o ambiente regulatório em que trabalhamos.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá