XRP sofrerá fork? Ripple trabalha com essa possibilidade, sugere executivo

Compartilhar Artigo
EM RESUMO
  • Ripple anunciou recentemente uma Fundação que descentraliza aspectos do XRP

  • Uma das mudanças é na escolha de validadores, o que abre possibilidade para fork

  • Um executivo explica como a empresa trabalha com esse “problema” em mente

  • promo

    Estamos compartilhando informação no nosso grupo de Telegram , siga-nos! E obtenha sinais de trading e análise de criptomoedas diariamente!

The Trust Project é um consórcio internacional de veículos de notícias que criam padrões de transparência.

A XRP estará sujeita a um possível fork com a maior abertura ao acesso de validadores. No entanto, a Ripple deverá trabalhar para que uma derivação da rede nunca aconteça.



O posicionamento surgiu em uma fala do chefe de tecnologia (CTO) da empresa, David Schwartz. Em entrevista à Forbes na última segunda-feira (28), ele disse que a Ripple vai se unir com selecionadores de validadores para que não haja “nenhum risco de fork”.

Uma vez que um dos nossos principais valores é agir segundo os interesses do XRPL, é claro que trabalharíamos em estreita colaboração com outros editores de listas [de validadores] para garantir que não haja nenhum risco de fork. Por ser aberto, cada nó do XRPL é livre para escolher os validadores em que confia, inclusive manualmente.

A fala vem dias após o anúncio da XRP Ledger Foundation (XRPLF). A nova fundação estabelece regras mais abertas para a participação da comunidade no XRP. Entre as mudanças, está uma maior transparência nos critérios de seleção dos validadores.



Atualmente, a Ripple tem controle rígido sobre a lista de validadores, chamada de UNL. Dessa maneira, a empresa impede que haja risco de fork. Como no Bitcoin, um fork origina da organização de grupos de validadores (no caso, os mineradores).

Com a maior transparência dos critérios, portanto, a Ripple soltaria as rédeas da seleção. Como consequência, a validação de transações na rede do XRP seria mais descentralizada. Por isso, igualmente mais propensa a forks.

No entanto, se depender da Ripple, uma eventual derivação da rede e do XRP não deverá ser simples.

Como comprar Bitcoin e entrar no grupo de sinais gratuito do BeInCrypto

Ripple vai descentralizar a XRP de verdade?

A nova fundação implica em uma abertura maior do desenvolvimento do XRP. Um dos reflexos é a eventual descentralização do grupo de validadores.

A mudança vem na esteira de fortes críticas com relação ao domínio da Ripple sobre a moeda. Aproximadamente a metade do XRP circulante está nas mãos da empresa.

Recentemente, a Ripple despejou uma quantidade massiva de XRP no mercado. Além disso, um dos fundadores gerou suspeitas após mover uma carteira com 50 milhões de XRP para um custodiante.

Críticos apontaram que a medida poderia ser uma manobra para despejar a criptomoeda no mercado sem ser descoberto.

O lançamento da fundação e a maior abertura não significam que a Ripple sairá de cena. Schwartz indica que a empresa manterá seu papel, mas, em tese, sem controlar a comunidade.

A Ripple manterá sua função junto à XRPLF como desenvolvedora-chave nos aspectos técnicos e de negócios do XRPL. Além disso, a XRPLF é apenas uma entidade que promete agir no melhor interesse da [rede] XRPL. Não se trata de controlar um ecossistema aberto e descentralizado como a XRPL.

Isenção de responsabilidade

Todas as informações contidas em nosso site são publicadas de boa fé e apenas para fins de informação geral. Qualquer ação que o leitor tome com base nas informações contidas em nosso site é por sua própria conta e risco.
Share Article

Sou jornalista e especialista, pela USP-SP, em Comunicação Digital. Já trabalhei em rádio e impresso, mas boa parte da minha experiência vem do online. Desde 2013, colaboro regularmente com o Grupo Globo na área de tecnologia, onde já cobri assuntos diversos da área, de lançamentos de produtos aos principais ataques hackers dos últimos anos. Também já prestei consultoria em projetos do Banco Mundial e da ONU, entre outras instituições com foco em pesquisa científica. Entrei no mundo das criptomoedas principalmente na cobertura de ataques cibernéticos e golpes no Brasil. Atualmente, faço mestrado em Comunicação Científica na Universidade de Granada, na Espanha. Escrevo para o BeInCrypto desde abril de 2020.

SEGUIR O AUTOR

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá

Sinais grátis de compra e venda de criptos, análises do Bitcoin e chat com traders. Entre já no nosso Telegram!

Vamos lá